terça-feira, 2 de junho de 2015

BIOGRAFIA - RACHEL BRICE NO BRASIL

** ESTAMOS REPOSTANDO OS ARTIGOS ESCRITOS EM MARÇO DE 2014, QUANDO RACHEL BRICE ESTEVE NO BRASIL, DURANTE O SHAMAM´S FEST. **

"Nossas leitoras pediram e este desejo foi realizado! Para começar a falar de tribal, vamos iniciar nossa pesquisa pela bailarina atualmente mais famosa no assunto. Rachel Brice nasceu em São Francisco, Califórnia, em junho de 1972. Ela nãofoi dessas crianças que faziam dança desde pequena. Só começou a ter aulas de dança do ventre quando já tinha 17 anos. Praticou ioga com Erich Schiffman, um renomado professor dos Estados Unidos.


Formação - Depois de sete anos, a mocinha já dava aulas, se formou como massoterapeuta e trabalhou como auxiliar de quiropraxia. Neste período, afastou-se da dança para dedicar-se integralmente à carreira na qual se formou. Alguns anos depois, os interesses mudaram. Rachel voltou a dançar, frequentava centros culturais e entrou no curso de dança da Universidade de São Francisco.



Não é à toa que ela se especializou na modalidade conhecida como tribal fusion, afinal o programa do curso tinha ênfase em etnologia da dança e ela teve aulas com professoras como Suhaila Salimpour. Suhaila, que esteve pela primeira vez no Brasil ministrando workshops em maio de 2010, é filha de Jamila Salimpour, criadora da Bal Anat, primeira companhia de dança tribal.

Rachel Brice também faz parte do grupo The Indigo e está girando o mundo na turnê Le Serpent Rouge. Quem vê a bailarina atuando sabe que ela concilia todo o seu aprendizado de massagista, quiroprata e praticante de ioga na dança. Possui uma capacidade de dissociação corporal incrível que, em geral, só é conseguida por outras companheiras de tribal.

Características - Dançando, ela se parece com aquela imagem que temos da cobra que hipnotiza o público. Seus movimentos são tão contínuos que é difícil não se encantar. Suas especialidades são os cambrês, que podem ser finalizados com caídas turcas, além das muitas ondulações abdominais e camelos. Também faz movimentações com a cabeça.

No Bellydancer Superstars, companhia para a qual entrou em 2003, é responsável por coreografias, nas quais capricha nas marcações com o ventre, peitoral e braços sempre altos, típicos do tribal contemporâneo. Outro destaque são as mãos, sempre se movimentando e em perfeita harmonia com os braços. Na dança, procura manter no corpo o ritmo e a melodia da música, e para isso muda a velocidade e o tamanho dos movimentos."